Rock e Solidariedade

Rock e Solidariedade
Música

Dia do Rock

Hoje é um dos dia mais especiais do ano para mim, afinal é o Dia do Rock!

Meu nome é Leandro Pato, e sou fundador e CEO do Solar Social. Este post escrevo de forma pessoal, pois minha história e

a do projeto tem uma ligação forte com o bom e velho Rock’n’Roll, afinal meu sonho de infância era ser rockeiro e mudar o mundo com a música, e com treze anos virei baixista. Durante dez anos toquei e tanto na estrada como na vida, tive algumas experiências que me levaram para o lado humanitário e me mostraram uma nova forma de mudar o mundo através da música.

Entre as experiências estão ter um irmão com uma síndrome rara (Síndrome de Williams) com quem aprendo dia após dia, conhecer e acompanhar a evolução de Luck Rock, jovem com paralisia física e cerebral que se tornaria o cadeirante mais rockeiro e querido do Brasil e trabalhar na matriz de uma das maiores entidades de reabilitação do mundo, a Fazenda da Esperança, chamando a atenção de dependentes químicos pelo fato de ser um rockeiro tatuado pensando em fazer o bem (na época, a tatuagem não era bem vista e popular como nos dias de hoje).

Com meu irmão e parceiro Raul Neto

Com meu irmão e parceiro Raul Neto

 

Com meu grande amigo Luck Rock e a banda Fuzi

Com meu grande amigo Luck Rock e a banda Fuzi

 

Na Fazenda da Esperança com os fundadores Frei Hans e Nelson Giovanelli

Na Fazenda da Esperança com os fundadores Frei Hans e Nelson Giovanelli

 

Influências do Bem

Além das experiências, descobri que algumas das minhas bandas de rock favoritas eram engajadas em causas humanitárias, lado que poucas pessoas conheciam na época. O Linkin Park tem uma organização de caridade chamada Music for Relief que ampara vítimas de desastres naturais e tem programas de conscientizarão sobre o aquecimento global. O Jon Bon Jovi luta pela igualdade em sua região e investe em programas de habitação popular através da JBJ Soul Foundation, além de ter construido um restaurante chamado JBJ Soul Kitchen, que fornece refeições de qualidade pelo preço ou serviço que a pessoa puder oferecer, garantindo almoços e jantares dignos para a sociedade. E o Flea, baixista do Red Hot Chilli Peppers, construi um conservatório de música chamado Silverlake Conservatory Of Music onde facilita o ensino de música para crianças e jovens carentes.

O rock inspira mas não é o único a ter artistas com esta preocupação em fazer o bem. Ícones da Pop Music como Avril Lavigne e Justin Bieber também são bem engajados. A Avril tem sua fundação, a Avril Lavigne Foundation, que apoia crianças e jovens com deficiência e doenças graves. Já o Justin é embaixador global da Pencils of Promisse. Desde sua primeira turnê, ele reverte parte da renda obtida na venda dos ingressos, de todos os seus shows, para construção de escolas na África. Ao longo dos anos, o cantor canadense já ajudou a construir mais de 200 escolas em países subdesenvolvidos, apoiando milhares de crianças que sem este recurso talvez não tivessem a chance de galgar um futuro melhor.

Linkin Park – Music For Relief

Linkin Park – Music For Relief

 

Jon Bon Jovi – Soul Kitchen

Jon Bon Jovi – Soul Kitchen

 

Flea (Red Hot Chille Peppers) – Silverlake Conservatory of Music

Flea (Red Hot Chille Peppers) – Silverlake Conservatory of Music

 

Justin Bieber – Pencils of Promisse

Justin Bieber – Pencils of Promisse

 

Atitude Rockeira

Com tantas experiências e boas influências na minha história com o rock, em 2008 montei minha produtora artística chamada Solar Music, e através dela criei o projeto Solar Social com a missão de realizar ações sociais unindo música e solidariedade, e desde então ajudamos milhares de pessoas através de eventos e e plataformas solidárias.

Sempre acreditei na atitude rock para mudar o mundo, e através disso consegui junto com meus amigos, família e equipe fazer a diferença. E espero fazer muito mais!!! Finalizo este post com uma citação que resume bem o pensamento que eu tenho já faz alguns anos sobre o rock, que vai na contramão da cultura popular do Sexo, Drogas e Rock’n’Roll.

A atitude rock dos dias atuais está cada vez mais ligada ao poder que o artista possui de fazer o bem, além de sua própria música. Ter um microfone nas mãos é uma grande oportunidade de ajudar as pessoas a refletir e compreender como podem tornar suas vidas melhores, respeitando o planeta e o próximo, participando sempre que possível, de forma direta ou indireta, de causas ambientais e humanitárias.

style.greenvana.com